test

Testemunho


        Certa ocasião, antes de seu ingresso definitivo na Ordem Franciscana Menor, Frei Jorge adoentado esteve, por um bom tempo internado num hospital. Repensava sua vida e sua vocação, desgostoso que estava sem saber exatamente que rumo seguir. Alí, naquele hospital conhece um garotinho, o Zezinho, que sempre conversa com ele e vive pedindo coisas.

Certa feita, passa o Zezinho tristonho e Frei Jorge o chama:
- Zezinho! Que cara triste é esta?
- Ah, Frei (todos já o chamavam de "frei")! Eu queria tanto uma bolinha! Uma bolinha prá brincar!
- Ora, meu filho, eu não tenho uma bolinha para lhe dar! Onde vou arranjar uma bolinha aqui no hospital?
- Ah! Mas eu queria tanto!
Frei Jorge resolve se divertir um pouco e lhe diz:
- Já sei! Vamos pedir para Jesus!
Leva o menino para a capela, diante do sacrário e diz ao Zezinho:
- Aí está Jesus! Peça a ele o que você quer.
Muito sem graça, o menino balbucia:
- Jesus, me dá uma bolinha!
- Mais alto! Diz Frei Jorge.
- JESUS, ME DÁ UMA BOLINHA!
- Mais alto! Diz, novamente, Frei Jorge já se segurando para não rir.
- JE-SUS, ME DÁ U-MA BO-LI-NHA!
- Pronto, meu filho, agora vá e é só esperar!
Mal o menino sai e Frei Jorge ri a não poder mais!
Passam-se poucos dias e, lá vem o Zezinho correndo, batendo com uma bolinha no chão.
- Zezinho! Onde você conseguiu esta bolinha? Pergunta Frei Jorge.
- Ora, o senhor não mandou pedir para Jesus? Foi Jesus que me deu!
- Mas, como isso aconteceu?
- Frei, ontem não estava chovendo? Então, eu estava brincando com um barquinho de papel lá no páteo. Aí, tinha uma calha onde não estava saíndo água. Coloquei a mão prá ver o que era e achei a bolinha! Jesus pôs lá para mim!
O que Frei Jorge mais precisava naquele momento era a confiança de que tudo estava nas mãos do Senhor… e que para tudo haveria solução. Frei Jorge entendeu a cartinha de amor que Jesus lhe enviara através do Zezinho!

Copyright © AMARAPAZ. Todos os direitos reservados.